segunda-feira, 5 de novembro de 2012

México: Chiapas


Depois de 19 horas entre voos e conexões em aeroportos, finalmente chegamos a Tuxtla-Gutiérrez, capital do estado mexicano de Chiapas. Chegamos literalmente moídos, mas chegamos!

Tuxtla vista do Cristo de Copoya
E surpreendeu encontrar um aeroporto moderno e confortável, apesar de pequeno. Assim como surpreendeu o enorme, moderno, amplo, funcional e confortável aeroporto da Cidade do México. Com toda sinceridade? Deu uma “saudade” danada da muvuca dos aeroportos brasileiros, tais como o de Guarulhos, Congonhas, Confins (do mundo!), o de Brasília... a nossa lista de “centros de torturas” é interminável, concorda?! A menos de dois anos para a Copa do Mundo, fica para mim, cada vez mais patente, um pessimismo muito grande e a certeza de que passaremos vergonha!

Artesanato local
Chiapas ficou famoso nos anos 90 pela luta do Comandante Marcos e seus guerrilheiros zapatistas. A revolta, que iniciou como uma luta pelos direitos dos indígenas da região e logo descambou para uma violenta luta armada, que hoje apenas faz parte do passado. O Comandante Marcos sumiu sem deixar rastros, os zapatistas foram dizimados e os indígenas... bem, digamos que a vida deles melhorou um pouquinho.

Mary e Cármen no Mercado Municipal de Tuxtla
Em um país onde se respira os tempos de colônia espanhola, Tuxtla destoa por ser mais contemporânea. Por aqui inexistem monumentos dos tempos coloniais. Tuxtla me surpreendeu pelo tamanho. Imaginava uma cidade bem menor, mas, com cerca de 1 milhão habitantes, concentra toda a economia da região, fortemente baseada na agricultura e criação de gado. Petróleo foi encontrado na região e começa a ser explorado.

Peça maia do Museu Antropológico de Tuxtla
Chiapas, assim como o estado vizinho de Quintana-Roo, têm uma grande concentração de ruínas maias, mas na região ao redor de Tuxtla as belezas são naturais. Na nossa programação estão as visitas ao Cañon del Sumidero e à Sima Las Cotorras. Hoje visitaremos a Hidroelétrica Chicoasén, a maior do México.

Todas as noites o povo da cidade dança no Parque La Marimba
Mas se os brasileiros normalmente visitam a Cidade do México, Cancun e Acapulco, como é que foi que paramos nos confins de Chiapas?! É que estamos numa visita de intercâmbio do Friendship Force International.

Friendship o quê?!!! Bem, isso é papo longo para outro post!

Um comentário:

  1. Paulo R. F. Passos6 de nov de 2012 12:31:00

    Meu caro,

    Estive recentemente no aeroporto do Panamá e percebi a grande melhoria nas acomodações realizadas ao longo de 4 (quatro) anos, que foi a última vez que estive por lá. Recentemente (mês passado) estive em Cancun, também com um excelente aeroporto, Puerto Vallarta, outro bom aeroporto. Quanto a cidade do México, faço minhas as suas palavras.
    Relativo aos aeroportos brasileiros, comungo com você a ideia de que
    pagaremos sério mico com essa estória de Copa e Olimpíadas, a menos que ninguém apareça por aqui.

    Um abraço,

    ResponderExcluir